domingo, 30 de setembro de 2012

"Colegas", filme estrelado por um trio de atores com síndrome de Down, é premiado



Trio de atores com síndrome de Down se emocionou
Foto: Edison Vara/Pressphoto
Cinema
Estrelado por um trio de atores com síndrome de Down, "Colegas", de Marcelo Galvão, faturou o Kikito de melhor filme da 40ª edição do Festival de Cinema de Gramado. A cerimônia de premiação foi realizada na noite deste sábado (18) no Palácio dos Festivais.

De maneira leve, divertida e sem autopiedade, o road movie de Marcelo Galvão é uma aula de inclusão social. A jornada dos personagens Stallone (Ariel Goldenberg), Aninha (Rita Pokk) e Márcio (Breno Viola) arrancaram muitos risos da plateia na serra gaúcha. De longe, o filme foi o mais aplaudido durante e depois da sessão no Palácios dos Festivais.

"Queria agradecer a essa equipe e a Rita, Ariel e Breno. A nossa projeção aqui foi maravilhosa. O filme foi aplaudido várias vezes em cena e de pé ao final. Isso para nós foi o maior prêmio", discursou Galvão após receber o Kikito das mãos do cineasta Arnaldo Jabor.

Além de melhor filme, "Colegas" levou para casa os prêmios de direção de arte e especial do júri, para os atores Ariel, Rita e Breno. No palco, os três choraram e fizeram um discurso emocionado: "Nós somos Down perante a sociedade, mas perante Deus somos normais", disse Ariel. Exatamente como faz no filme, Breno arrancou gargalhadas da plateia: Ganhar esse periquito (Kikito) aqui é muito gratificante", brincou.

Favorito dos defensores de um cinema mais autoral, "O Som ao Redor" ficou com os prêmios da crítica, do júri popular, de desenho de som e de direção, para o pernambucano Kleber Mendonça Filho. "Jorge Mautner - O Filho do Holocausto" ficou com os prêmios de roteiro - para Pedro Bial - fotografia e montagem.

Na premiação de melhor ator e atriz, nenhuma surpresa. Marat Descartes, que interpreta um ator aspirante ao sucesso em "Super Nada", era imbatível. O Kikito de melhor atriz também era certo que sairia do trio de "O que se Move", Andrea Marquee, Cida Moreira ou Fernanda Vianna. Ficou com esta última.
Na mostra competitiva de filmes estrangeiros, o uruguaio "Artigas, la Redota", de Cesar Charlone, levou o prêmio de melhor filme. O longa-metragem do diretor uruguaio radicado no Brasil, cuja trama retrata o herói nacional do país, faturou também os prêmios de melhor direção, melhor ator, do júri popular e da crítica.

A categoria curta-metragem premiou o baiano "Menino do Cinco", de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira, ganhador de cinco Kikitos, incluindo o de melhor filme. O gaúcho "Casa Afogada" também saiu de Gramado com quatro prêmios, entre eles o de melhor diretor, para Gilson Vargas.

Todos os premiados
Longas-metragens brasileiros
Melhor filme: "Colegas", de Marcelo Galvão
Melhor diretor: Kleber Mendonça Filho, por "O Som ao Redor"
Melhor ator: Marat Descartes ("Super Nada")
Melhor atriz: Fernanda Vianna ("O Que se Move")
Melhor roteiro: Pedro Bial ("Jorge Mautner - O Filho do Holocausto")
Melhor fotografia: Gustavo Hadba ("Jorge Mautner - O Filho do Holocausto")
Melhor montagem: Leyda Napoles ("Jorge Mautner - O Filho do Holocausto")
Melhor direção de arte: Zenor Ribas ("Colegas")
Melhor trilha musical: André Abujamra ("Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!")
Melhor desenho de som: Pablo Lamar e Kleber Mendonça Filho ("O Som ao Redor")
Prêmio do júri popular: "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho
Prêmio da crítica: "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho
Prêmio especial do júri: Ariel Goldenberg, Breno Viola e Rita Pokk ("Colegas")

Longas-metragens latino-americanos
Melhor filme: "Artigas, la Redota"(Uruguai), de Cesar Charlone
Melhor diretor: Cesar Charlone, por "Artigas, la Redota"(Uruguai)
Melhor ator: Jorge Esmoris, por "Artigas, la Redota"(Uruguai)
Melhor roteiro: Eduardo del Llano Rodríguez, por "Vinci"(Cuba)
Melhor fotografia: Boris Peters e Larry Peters, por "Leontina" (Chile)
Prêmio do júri popular: "Artigas, la Redota" (Uruguai), de Cesar Charlone
Prêmio da crítica: "Artigas, la Redota" (Uruguai), de Cesar Charlone
Menção honrosa: Daniel Fernández e Mariana Pereira, pela direção de arte de "Artigas, la Redota"(Uruguai)
Menção honrosa: Luciano Supervielle, pela trilha de "Artigas, la Redota"(Uruguai)
Menção honrosa: Osvaldo Montes, pela trilha de "Vinci"(Cuba)

Curtas-metragens nacionais
Melhor filme: "Menino do Cinco", de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira
Melhor diretor: Gilson Vargas ("Casa Afogada")
Melhor ator: Thomas Vinícius de Oliveira e Emanuel de Sena ("Menino do Cinco")
Melhor atriz: Sabrina Greve ("O Duplo")
Melhor roteiro: Marcelo Matos de Oliveira ("Menino do Cinco")
Melhor fotografia: Bruno Polidoro ("Casa Afogada")
Melhor montagem: Gustavo Forte Leitão ("Di Melo - O Imorrível")
Melhor direção de arte: Iara Noemi e Gilka Vargas ("Casa Afogada")
Melhor trilha musical: Marcos Azambuja ("Funeral à Cigana")
Melhor desenho de som: Gabriela Bervian ("Casa Afogada")
Prêmio do júri popular: "Menino do Cinco", de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira Prêmio especial do júri: "A Mão que Afaga", de Gabriela Amaral Almeida
Prêmio da crítica: "Menino do Cinco", de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira.

Fonte: G1 RS/Márcio Luiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...